Energia Geotérmica – O que é? Vantagens e Desvantagens – Resumo

A energia geotérmica é obtida através do calor proveniente da terra, onde há reservas que são aquecidas pela proximidade com o magma.

Assim, a energia geotérmica é a energia calorífera gerada a menos de 64 km da superfície da Terra, em uma camada de rochas em fusão e gases, chamada magma, que chega a atingir até 6 000°C.

Apesar de existirem estudos em andamento, até o momento não há métodos economicamente viáveis para perfuração até o magma.

O aproveitamento comercial da energia geotérmica pelo homem tem-se limitado à utilização do vapor ou água quente do subsolo na movimentação de turbinas e geração de eletricidade.

Usinas hidrotérmicas e a energia geotérmica

A utilização direta das fontes hidrotérmicas, gêiseres ou minas de água quente pelo homem é muito antiga, tendo sido aplicada em cocção de alimentos e banhos terapêuticos.

Os reservatórios hidrotérmicos apresentam a vantagem de localizarem-se próximos à superfície, apesar de restritos a regiões específicas, como é o caso de Caldas Novas do Rio Quente, em Goiás.

A geração de eletricidade a partir do calor geotérmico é relativamente mais recente e iniciou-se nos EUA com a instalação de uma unidade pequena, a partir do vapor emitido nos campos de gêiseres em Sonoma County, Califórnia, em 1960. Essa usina conta atualmente com catorze unidades e é a maior usina elétrica geotérmica em funcionamento.

Porém, uma usina desse tipo acarreta um aquecimento ambiental equivalente a 80% da energia extraída, produz muitos ruídos e libera gases nocivos, de incidência natural nos vapores vulcânicos.

A instalação de torres de resfriamento adequadas, a reinjeção das águas salobras de origem subterrânea, utilizadas como fonte de calor, porém altamente poluentes. A remoção do enxofre dos gases sulfídricos emitidos seriam medidas que reduziriam o impacto das operações da usina sobre o meio ambiente, bem como os consequentes riscos ocupacionais.

energia geotérmica
Usinas de geopressão

A energia aproveitada pelas usinas de geopressão pode originar-se de três fontes: água a altas temperaturas, água a altas pressões (normalmente águas salobras) e gás natural.

Essas águas ou gases encontram-se confinados entre ou sob rochas sedimentares impermeáveis, como é o caso da costa do golfo do México, nas regiões dos Estados do Texas e Louisiana (EUA).

Essa fonte de energia renovável não encontrou ainda aplicação comercial e os testes que estão sendo realizados utilizam torres de perfuração semelhantes às utilizadas nas explorações de petróleo.

As temperaturas nos poços geotérmicos variam de 107°C (fontes rasas, ao redor de 300 m de profundidade) até 260°C (fontes de até 600 m de profundidade).

Teoricamente, esse recurso energético possui potencial mecânico e térmico para a movimentação de turbinas. No entanto, ainda não existem usinas comerciais em funcionamento, mas apenas usinas-piloto para testes, nos EUA.

Os riscos ocupacionais advindos da exploração desse recurso possivelmente se aproximam muito daqueles encontrados nas atividades de exploração de petróleo e gás natural. Dessa forma, acredita-se que o risco de exploração deverá sempre ser considerado, pois águas quentes pressurizadas freqüentemente contêm gás metano dissolvido.

energia geotérmica renovavel

Outro aspecto a ser considerado na instalação de usinas de geopressão é o fato de que as regiões propícias a esse tipo de operação normalmente encontram-se em zonas sujeitas a terremotos, maremotos, ventos fortes e tufões.

Esse tipo de fenômenos colocam em risco a estrutura da usina, pois, da mesma forma que as usinas hidrotérmicas, esta também exige grandes áreas de exploração e redes de tubulação de alta pressão sujeitas a rupturas.

Também nesse tipo de central geradora de energia deverão ocorrer os problemas de poluição sonora, aquecimento ambiental, além da contaminação de rios pelos fluidos residuais da exploração.

Essa exploração exige alto investimento inicial, alto custo de manutenção e apresenta baixa eficiência. A reinjeção das águas salobras nos poços de exploração talvez seja uma medida a ser estudada, visando reduzir a contaminação em rios.

Rochas quentes e secas

Rochas quentes e secas são formações que contêm calor, mas não apresentam um fluido circundante que atue como meio de transferência.

Apesar de esse recurso estar largamente disponível no planeta, sua exploração exige perfuração com eixos paralelos, fratura da rocha, injeção de fluidos exógenos para troca de calor e posterior remoção desse fluido.

Atualmente, existem apenas usinas-piloto sendo testadas nos EUA, no Novo México. Os problemas encontrados até o momento são os mesmos já descritos para as outras usinas geotérmicas.

Entretanto, neste caso surge um fato novo – possível aumento de ocorrências sísmicas – devido à injeção de grandes volumes de fluidos. Outro motivo são as altas pressões em áreas reconhecidamente localizadas em zonas de falhas ativas.

Energia geotérmica no Brasil

No Brasil, a energia geotérmica anda em passos de tartaruga. Esse tipo de é utilizado apenas na forma de água aquecida. Presente nos estados de Goiás, na cidade de Caldas Novas, e no parque terma de Poços de Calda, em Minas.