Fontes de Energia – Formas Alternativas

Energia, derivada de enérgeia, que em grego significa “em ação”, é a propriedade de um sistema que lhe permite existir ou, como conceitua a Física, realizar trabalho. Energia é vida, é movimento – sem a sua presença o mundo seria inerte. Saber usar administrar sua produção através de diferentes fontes de energia é fundamental.

A utilização de diversas formas de energia possibilita ao homem cozinhar seu alimento, fornecer combustível aos seus sistemas de transporte, aquecer ou refrigerar suas residências e movimentar suas indústrias.

Desde o início da vida em sociedade, o homem procura fortes de energia que possam ser geradas continuamente, ou armazenadas para serem consumidas nos momentos de necessidade.

Combustíveis fósseis

Os combustíveis fósseis, apesar de não serem fontes renováveis de energia, são fontes energéticas por excelência. Atualmente, são responsáveis por quase 90% de toda energia consumida no mundo. Sua grande vantagem está na possibilidade de armazenamento, pois um quilo de carvão ou de gasolina armazena grandes quantidades de energia.

Grande parte desses combustíveis está nas mãos do Oriente Médio, que tem se valido desses recursos para obter vantagens políticas e econômicas, deixando os países dependentes do petróleo em uma situação de constante insegurança.

Entre os países dependentes do petróleo estão algúns altamente industrializados e com alto padrão de vida, cuja manutenção econômica, política e social está diretamente relacionada ao seu acesso à energia.

A população dos países industrializados representa 20% da população mundial, e consome mais de 70% de toda energia do planeta.

O perigo da Fonte de Energia Nuclear

fonte-de-energia-nuclear

Alguns países, como a França, por exemplo, têm procurado a energia nuclear como fonte alternativa para geração de eletricidade. Esse tipo de energia supre, na atualidade, cerca de 17% da eletricidade mundial.

Entretanto, apesar de ser considerada pelos técnicos como uma fonte “limpa” de energia, por não emitir gás carbônico ou outros poluentes atmosféricos como acontece com os combustíveis fósseis, a usina nuclear libera resíduos radioativos de longa duração.

Além disso, desconsiderando-se o risco de a tecnologia nuclear, ser utilizada para produção de armamento, um único acidente nuclear, como ocorreu em Chernobyl, acarreta conseqüências catastróficas ao homem e ao ambiente, desrespeitando fronteiras e atingindo diversas gerações, devido às mutações genéticas causadas pela radiação nos tecidos vivos.

Por essas razões, alguns países vêm desacelerando investimentos nesse setor, como é o caso norte-americano, onde, desde 1978, não foram instaladas novas usinas nucleares.

Sabemos que a sociedade moderna necessita de energia para sobreviver. Os países menos desenvolvidos buscam a industrialização como forma de melhorar o padrão de vida de sua população, com um conseqüente aumento do consumo energético.

 

Organização dos Países Exportadores de Petróleo

Em 1960 é criada a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que inicia um controle efetivo dos preços do petróleo, a partir de 1970.

O ano de 1972 apresentou uma produção mundial superior a 8 milhões de m3/dia, distribuídos entre EUA , URSS , Arábia Saudita, Irã, Venezuela, Kuwait, Líbia, Nigéria, Canadá, Argélia e outros pequenos produtores.

Em 1973 é deflagrada a primeira crise mundial do petróleo, caracterizada pela efetiva transferência do controle da política mundial de petróleo das grandes empresas internacionais para os países exportadores.

A guerra árabe-israelense, em outubro desse mesmo ano, instaurou pânico no cenário petrolífero mundial, pois os países árabes, exportadores de petróleo, resolveram utilizar esse combustível como arma política, através de cortes progressivos na produção.

Os países industrializados passaram, então, a adotar medidas restritivas ao consumo de petróleo, cuja escassez e altos preços desestabilizaram suas economias, já agravadas por um quadro de inflação crescente.

Em 1979, com a mudança política no Irã, e posteriormente seu conflito com o Iraque, instaurou-se uma nova crise mundial do petróleo, dessa vez com aumentos significativos de preço.

A partir dos anos 80, os países industrializados começaram a se preocupar com o esgotamento dos recursos naturais e com a poluição, enquanto os países do Terceiro Mundo se conscientizavam da exploração que vinham sofrendo e de sua dependência econômica em relação às grandes potências.

 

Fontes de Energia Alternativas

fontes-de-energia-alternativas

Existem outras fontes de energia alternativas que, adequadamente utilizadas, podem substituir os combustíveis fósseis em alguns de seus usos, reservando-os para aquelas situações em que a substituição ainda não é possível. Porém as fontes de energia alternativas que têm sido estudadas não se mostraram, até o momento, capazes de substituir plenamente os combustíveis fósseis, seja pela baixa eficiência, seja pelo alto custo de produção.

A associação de diferentes fontes de energia pode reduzir o consumo de petróleo e de outros combustíveis— fósseis, o que já é vantajoso. Um exemplo dessa associação seria o aproveitamento da energia dos ventos, para geração de eletricidade em estações repetidoras, de rádio, onde o óleo diesel é o combustível utilizado. Nas épocas de calmaria, o óleo diesel supriria a ausência dos ventos.

De uma forma ou de outra, tanto para substituir os combustíveis fósseis como para integrar-se a um sistema energético que os economize, muito precisa ser pesquisado e desenvolvido.

Confira os principais TIPOS DE ENERGIA